FENTEPIRA 2009

29/11/2009

Marias e a Ver Estrelas são os

melhores do Fentepira 2009

Nekropolis foi o destaque do festival, vencendo em quatro categorias.

Elenco do espetáculo Marias com a diretoria do teatro municipal Dr. Losso Netto, Heloisa Guerrini.  

 

 

Aconteceu neste domingo, 29, o encerramento do 4º. Festival Nacional de Teatro de Piracicaba, com uma cerimônia repleta de bom humor e comanda pelo mestre de cerimônia e diretor da Companhia Estável de Teatro Amador de Piracicaba (CETA), João Scarpa. Com a presença de representantes dos grupos que participaram da Mostra Oficial, artistas e os membros da comissão debatedora, os espetáculos Marias, da Cia Estalo de Teatro de Piracicaba, a Ver Estrelas, do Grupo Travessia, de Santa Bárbara D’Oeste e Nekrópolis, do Grupo Formação 10 de Santo André, foram os destaques do Fentepira 2009.

 

O musical Nekropolis, que encerrou o festival no sábado, recebeu quatro troféus: destaque para elenco, encenação, dramaturgia e projeto sonoro. Marias foi consenso entre público e comissão debatedora, recebendo os dois troféus como destaque para espetáculo adulto. A atriz Marina Henrique, emocionada, dedicou o prêmio a todos os artistas de Piracicaba, principalmente aqueles que têm levado o nome da cidade pelos festivais do país. Na categoria infantil, o voto popular e da comissão debatedora foi para a Ver Estrelas, do Grupo Travessia, de Santa Bárbara D’Oeste.

 

Dois intérpretes do espetáculo Astros, Patas e Bananas mereceram o destaque da comissão debatedora: Andréia Nhur e Douglas Emílio. Eduardo Okamoto, pelo espetáculo Eldorado e as atrizes Gabriela e Marina Henrique, pelo espetáculo Marias também receberam destaques como intérpretes.

 

Confira toda a seleção de premiados do 4º. Festival Nacional de Teatro de Piracicaba.

 

Destaque para Elenco

Indicados: Beira Rio, Nekropolis, A Ver Estrelas, Astros, Patas e Bananas

Vencedor: Nekropolis

 

Destaques para Interprete

Andréia Nhur – Astros, Patas e Bananas

Douglas Emílio - Astros, Patas e Bananas

Eduardo Okamoto – Eldorado

Gabriela e Marina Henrique – Marias (concedido a ambas por ser impossível dissociar seus trabalhos)

 

Destaque para Encenação

Indicados: Réquiem, Marias, Nekropolis

Vencedor: Nekropolis

 

Destaque para Dramaturgia

Indicados: Santiago Serrano – Eldorado

Eduardo Américo, Gabriela Elias, Marina Henrique - Marias

Roberto Alvim – Nekropolis

Vencedor: Roberto Alvim - Nekropolis

 

Destaque para Projeto Cenográfico

Indicados: Mauro Martorelli - Requiem

Luiz Biasi e Silvia Mokreys – Cindi Hip Hop

Eduardo Américo, Gabriela Elias, Marina Henrique, Paulo Heise - Marias

Vencedor: Mauro Martorelli – Réquiem

 

Destaque para Projeto de Iluminação

Indicados: Roberto Gill Camargo – Astros Patas e Bananas

Taty Kantea – Réquiem

Wagner antonio – Nekropolis

Vencedor: Roberto Gill Camargo – Astros Patas e Bananas

 

Destaque para Projeto Sonoro

Indicados: Gustavo Kurlat – Nekropolis

Alex Buck - Réquiem

Eduardo Américo – Marias

Vencedor: Gustavo Kurlat – Nekropolis

 

Destaque para Projeto de Indumentária

Indicados: Inês Sacay - Réquiem

Luciana Felipe – Beira Rio

Inês Sacay – Réquiem

Eder Lopes - Nekropolis

Vencedor:  Inês Sacay - Réquiem

 

Destaque de Espetáculo Crianças e Adolescentes (Voto Popular)

A Ver Estrelas

 

Destaque Espetáculo Adulto (Voto Popular)

Marias

 

Destaque de Espetáculo Adulto (Comissão Debatedora)

Indicados:

Réquiem

Marias

Nekropolis

Vencedor: Marias

 

Destaque Espetáculo Crianças e Adolescentes (Comissão Debatedora)

A Ver Estrelas

 

SERVIÇO:

4º. FESTIVAL NACIONAL DE TEATRO DE PIRACICABA (FENTEPIRA)

DATA: 21 a 29 de novembro de 2009

INFORMAÇÕES: 19 3433.4952 | 3434 2168


Escrito por Fentepira 2009 às 23h59
[] [envie esta mensagem] []



 

Mega produção,

Orestéia encerra

Fentepira 2009

 

 

A cerimônia de encerramento com anúncio dos detaques do Fentepira 2009 acontece hoje, 29,  às 18 horas, no Armazém 14 do Engenho Central. Serão divulgados:

Destaque para Elenco

Destaque para Interprete

Destaque para Encenação

Destaque para Dramaturgia

Destaque para Projeto Cenográfico

Destaque para Projeto de Iluminação

Destaque para Projeto Sonoro

Destaque para Projeto de Indumentária

Destaque de Espetáculo Adulto (Comissão Debatedora)

Destaque de Espetáculo Crianças e Adolescentes (Voto Popular)

Destaque Espetáculo Adulto (Voto Popular)

Destaque Espetáculo Crianças e Adolescentes (Comissão Debatedora)

 

Após a premiação, acontece o espetáculo de encerramento, Orestéia, o Canto do Bode, com o grupo Folias D’ Artes.

 

Pegue três tragédias gregas (recomendamos Agamênon, Coéforas e Eumênides, de Ésquilo), tempere com a história dos países latino-americanos no século XX, um pouco de Brecht e enfeite com uma pitada da realidade do teatro paulistano. Bata tudo isso em um grande liquidificador (certifique-se de que está tampado, pois essa mistura é um tanto explosiva e pode fazer uma baita meleca). Beba tudo de uma única vez.

 

É esta a sensação que temos ao assistir Orestéia – O Canto do Bode, montagem que o grupo Folias escolheu para comemorar seu décimo aniversário. O projeto é ambicioso e perigoso (pra não dizer maluco mesmo…): os riscos de se enroscar em algum clichê são altíssimos, mas a companhia passa praticamente ilesa por este abismo. Entrar no galpão do grupo equivale a colocar o copo deste liquidificador na boca e abrir a goela para três horas de uma viagem absolutamente maluca.

 

A montagem, conduzida por um excelente palhaço-corifeu (ou seria um corifeu-palhaço?) interpretado por Dagoberto Feliz, conta a história do povo de Argos, desde a partida do rei Agamênon até o julgamento de seu filho Orestes pelo crime de matricídio. Entre esses dois acontecimentos, como já bem alertava o palhaço Dagoberto na bilheteria, “acontece a maior desgraceira”, como em toda boa tragédia.

 

No fim das contas, o espetáculo é tão bem produzido e há tamanha entrega por parte dos atores, que há muito poucas ressalvas que podem ser apontadas.

Sinopse

A trilogia nos conta a história dos Atridas, desde a partida do Rei Agamêmnon para a conquista de Tróia, até o julgamento de Orestes em Atenas pela morte de sua mãe Clitemnestra. Nessa longa trajetória entramos em contato com a constituição do Estado Grego e sua passagem do matriarcado ao patriarcado e no estabelecimento da justiça dos Homens em substituição a justiça dos Deuses. Com o julgamento de Orestes por um tribunal formado pelos melhores cidadãos, temos constituída a justiça dos fóruns, dos debates entre acusação e defesa, tal qual a conhecemos hoje.

 

Ficha técnica

Dramaturgia: Reinaldo Maia. Direção: Marco Antonio Rodrigues. Direção musical: Dagoberto Feliz. Cenografia: Ulisses Cohn. Figurinos: Atílio Beline Vaz. Criação de luz: Carlos Gaúcho. Corpo: Joana Mattei. Técnica de Alexander: Reinaldo Renzo. Assistente de direção: Val Pires. Adereços: Marcela Donato e Bira Nogueira. Vídeo Maker: Zeca Rodrigues. Design gráfico: Zeca Rodrigues. Operação de luz: Tulio Pezzoni. Operação de som: Ricardo Barison/Carol Costa. Operação de vídeo: Osmar Guerra. Produção: Nani de Oliveira, Patrícia Barros e Tili Woldby.

 

Elenco

Atílio B. Vaz, Bira Nogueira, Bruna Bressani, Carlos Francisco, Dagoberto Feliz, Danilo Grangheia, Flávio Tolezani, Gisele Valeri, Nani de Oliveira, Paloma Galasso, Patrícia Barros, Zeca Rodrigues

 

SERVIÇO

 

ORESTÉIA

DIA 28, 19 HORAS

LOCAL: ENGENHO CENTRAL


Escrito por Fentepira 2009 às 10h26
[] [envie esta mensagem] []



[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
 
 
       
   
BRASIL, Sudeste, PIRACICABA, Homem, de 02 a 04 anos, TEATRO


Histórico

OUTROS SITES
    AÇÃO CULTURAL (Secr. Municipal de Ação Cultural de Piracicaba)
  APITE! (Associação Piracicabana de Teatro)
  PREFEITURA MUNICIPAL DE PIRACICABA
  JORNAL DE PIRACICABA
  A TRIBUNA PIRACICABANA
  GAZETA DE PIRACICABA
  EDUCATIVA FM (PIRACICABA)
  DANDO NOTA (RODRIGO ALVES)